O crescimento do mercado imobiliário quer dizer que haverá um aumento na procura pela compra de imóveis, movimentando o setor e permitindo novos investimentos.

1. AUMENTO NAS VENDAS DEVIDO AOS JUROS E INFLAÇÃO
A recuperação do mercado de imóveis ainda em 2018 se deu em grande parte pela oferta de crédito mais barato, tanto para quem desejava construir quanto para quem buscava adquirir um apartamento. Além disso, houve mudança na taxa de juros Selic, que foi reduzida para 6,5% — em outros anos chegou a 14% —, a Caixa Econômica Federal também reduziu os juros dos financiamentos e a inflação foi mais bem controlada em 2,5% ao ano, com tendência de crescimento do PIB.

E esse cenário deverá ser mantido para 2020. A expectativa é que a taxa de juros baixa e a inflação sob controle permitam o crescimento do mercado imobiliário a partir de 2020. Outro ponto importante é a disposição dos bancos para aprovar financiamentos devido à maior oferta de crédito. Por isso, quem oferecer melhores condições de pagamento e financiamento tende a conquistar mais clientes.

2. MUDANÇA NA ESTRUTURA DOS IMÓVEIS
Quando as expectativas dos consumidores mudam, o mercado imobiliário também precisa se adaptar. Atualmente as pessoas buscam mais espaços de integração e convivência, mesmo que a tendência seja de imóveis menores devido ao aumento no preço do metro quadrado nas cidades. O Norte do Brasil ainda apresenta diferencial nesse sentido, pois foi a região que apresentou menor taxa em comparação com o resto do país.

Devido à tendência de interação, as construtoras estão adaptando suas estruturas de imóveis residenciais, criando salas mais integradas e relativamente mais amplas. O mesmo ocorre nos edifícios comerciais, já que estão sendo criados maiores espaços colaborativos para as equipes trabalharem de forma conjunta.

3. COMPRA DE IMÓVEIS EM CONJUNTO
Imagine que várias pessoas estão interessadas em comprar imóveis com as mesmas características. Agora, pense se elas se juntassem para fazer essa aquisição em um mesmo condomínio. Apesar de ser uma prática pouco falada, em 2020 será mais comum, e as pessoas se juntarão como em uma cooperativa para adquirir diversas unidades de uma só vez.

A vantagem é que o preço de cada imóvel sairá mais em conta, com descontos que podem chegar a 25% do valor final do imóvel. Saem ganhando os compradores, mas também os proprietários, que conseguem vender diversas unidades de uma só vez.

4. IMÓVEIS MAIS COMPLETOS
Quando as famílias se preocupam em conviver mais tempo também desejam imóveis mais completos, ou seja, que permitam mais qualidade de vida. Como a população tem buscado morar mais perto de onde trabalha para fugir das muitas horas de engarrafamento — como ocorre em Belém e nas cidades do Norte do país —, há uma tendência de crescimento de prédios comerciais em áreas até então residenciais.

Outro fato é que os condomínios tendem a ser cada vez mais completos, permitindo diversão sem sair de casa. São quadras, piscinas, salão de jogos, espaço gourmet, cinema, academia e várias outras atrações que permitem aliar praticidade e também segurança.

5. VALORIZAÇÃO DA LOCALIZAÇÃO DO IMÓVEL
A qualidade de vida tem se tornado prioridade para cada vez mais pessoas, o que têm aumentado a demanda por morar em condomínios bem localizados, que ofereçam uma boa estrutura interna com área de lazer completa e opções de entretenimento. Outra característica, é a boa oferta de comércio e serviços nas proximidades do condomínio, principalmente aqueles que atendem as necessidades do dia-a-dia das famílias, como escolas, supermercados e farmácias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *